Mais uma vez, Real Madrid: CR7 marca e clube conquista o título espanhol

Depois de cinco temporadas em branco, o maior campeão da Espanha voltou para o topo do futebol nacional. Neste domingo, o Real Madrid conquistou seu 33º título do Campeonato Espanhol, ao vencer o Málaga, fora de casa, pelo placar de 2 a 0, com gols de Cristiano Ronaldo e Benzema.
Os olhares dos fãs de futebol estavam divididos. De um lado, o Real Madrid visitava o Málaga e precisava de apenas um empate para garantir o título. Do outro, o Barcelona precisava fazer a lição de casa contra o Eibar e ainda torcer por um tropeço do clube da capital espanhola. No fim, melhor para o Real, que levantou seu 33º título na história e abriu ainda mais vantagem sobre o arquirrival.
Os galácticos ainda podem repetir um feito que não acontece desde 1958. A última vez que o Real conquistou o “doblete” – Liga dos Campeões e Espanhol -, no mesmo ano foi na década de 50, com Alfredo Di Stéfano como maior estrela. Agora, cabe a Cristiano Ronaldo, eleito o melhor do mundo em quatro oportunidades, comandar os galácticos em mais uma conquista.
Com o tento marcado neste domingo, CR7 chegou a 25 gols no Campeonato Espanhol. A próxima parada dos galácticos é a final da Liga dos Campeões, no dia 03 de junho, em Cardiff, no País de Gales, contra a Juventus.
CR7 decide no início do jogo – A tensão e a dúvida que pairava sob o estádio do Málaga logo se foi. Com apenas um minuto e quarenta de jogo, o maior artilheiro da história do Real Madrid tratou de falar “estou aqui”. O meia Isco, que vem jogando um grande futebol, deu uma enfiada de bola sensacional para Cristiano Ronaldo, que dominou, driblou o goleiro e balançou as redes, marcando mais um gols importantíssimo para os galácticos.
Após o gol, o Real, que precisava apenas de um empate, deixou que o Málaga crescesse no jogo. O clube, apoiado por seus torcedores, passou a atacar com mais jogadores no campo ofensivo. Aos 21 minutos, o goleiro costa-riquenho Keylor Navas fez uma das maiores defesas do campeonato. Em cobrança de falta de Keko, Navas voou para dar um tapa com a mão direita e salvar os merengues.
Se Navas salvou o Real, Kameni, goleiro do Málaga, fechava o gol pelo lado dos anfitriões. Após bola levantada na área, CR7 ficou com a redonda, deu grande drible e soltou uma paulada de perna esquerda, mas viu o arqueiro defender com categoria. E os merengues ainda sofreram outras boas investidas até o final da partida, mas contou novamente com Navas.
Os jogadores do Málaga não desistiram da partida e mesmo com 2 a 0 contra, buscavam jogadas de ataque e mostravam que venderiam caro a derrota. Quando conseguiam passar pela forte defesa do Real, no entanto, voltavam a esbarrar no goleiro costa-riquenho em noite inspirada.Festa no La Rosaleda – Os galácticos voltaram menos acomodados ao segundo tempo, e voltaram a produzir no setor ofensivo. Depois de algumas investidas do Málaga, o Real colocou a cabeça no lugar e sacramentou a vitória. Em jogada característica dos merengues, após bola levantada na área, o zagueiro Sergio Ramos chegou com liberdade e finalizou na trave, a bola rebateu e sobrou limpa para o centroavante Karin Benzema, que chutou de primeira e marcou o segundo gol do jogo.
Com tranquilidade, o Real apenas trocou passes no meio-campo e esperou o apito final do juiz para comemorar o 33º título da história do clube, soberano no futebol espanhol.
Barça bate na trave – Diferente do que aconteceu na Liga dos Campeões, o Barcelona não conseguiu uma remontada, neste domingo. Os catalães receberam a visita do Eibar e suaram para vencer por 4 a 2, em jogo com dois pênaltis.
Três pontos atrás do Real, o Barça precisava fazer a lição de casa e ainda torcer para um tropeço do Real, que visitava o Málaga. No entanto, nem uma coisa nem outra. O estrelado time de Lionel Messi e Neymar não conseguiu superar o rival e ainda viu Cristiano Ronaldo garantir a vitória e o título dos merengues.
Mesmo jogando no Camp Nou, o Barça não começou bem a partida e sofreu gol logo cedo. Aos seis minutos, a zaga catalã vacilou e deixou o meio-campista Inui livre para chutar cruzado e abrir o placar.
Com o revés sofrido, o Barcelona precisou se organizar em campo para buscar o empate.Apesar de pressionar no ataque, o estrelado time do Barça pouco conseguiu produzir, e, quando chegava com perigo, pecava nas finalizações.
Irreconhecível em campo, o Barça sofreu o segundo gol. Em rápido contra-ataque, Inui recebe na entrada da área e bate de primeira, com a perna esquerda, acertando o ângulo de Ter Stegen, que nada conseguiu fazer. No entanto, na sequência, o Eibar se complicou e marcou gol contra com Juncá, após finalização de Neymar: 2 a 1.
O Barça, após uma injeção de ânimo ainda teve chance de empatar a partida. O árbitro marcou pênalti após Alba cair sozinho dentro da grande área. Na cobrança, Lionel Messi acabou parando no goleiro e desperdiçou grande chance.
Melhor na partida, os catalães finalmente conseguiram balançar as redes. Após muita insistência, Luis Suárez aproveitou desvio na cobrança de escanteio e, no segundo pau, desviou para empatar a partida.
Na sequência, Neymar caiu na área e o árbitro viu pênalti. Mesmo com reclamação dos jogadores do Eibar, o juiz manteve a irregularidade e, na cobrança, Messi converteu: 3 a 2. Messi, antes do final do jogo, ainda finalizou a conta com um golaço, após bela arrancada: 4 a 2.
Por Messias Bezerra / Gazeta esportiva

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.