PF interceptou conversas de Temer, Gilmar e Aécio

Grampo foi autorizado pelo Supremo Tribunal Federal

A Polícia Federal interceptou ligações telefônicas do presidente Michel Temer e do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), durante a Operação Patmos, com ordens judiciais do próprio Supremo. A informação consta em documentos liberados nesta sexta-feira (19) por ordem do ministro Edson Fachin.
De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, Temer foi gravado conversando com seu ex-assessor, o deputado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) - parlamentar que foi flagrado recebendo R$ 500 mil.
Na ligação, Temer fala com o deputado sobre novas regras para o setor dos portos. Outra conversa interceptada pela PF é entre o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o ministro Gilmar Mendes, do STF.
No diálogo, ocorrido em 26 de abril, o senador pediu ao ministro [Mendes] para que telefonasse para o senador Flexa Ribeiro". A intenção era pedir ao magistrado que ele convencesse Ribeiro a seguir o voto da bancada no projeto sobre abuso de autoridade no Congresso.
De acordo com os documentos, os aparelhos telefônicos de Aécio e de Loures estavam sob interceptação judicial. Portanto, os grampos não foram feitos nos telefones de Gilmar Mendes e de Michel Temer.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.