Cármen Lúcia considera gravíssima denúncia de espionagem contra Fachin

A presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, reagiu à reportagem publicada neste sábado pela revista “Veja”.
A publicação afirma que o presidente Michel Temer mandou a Agência Brasileira de Inteligência, Abin, investigar o relator da Lava-Jato no STF, ministro Edson Fachin.
Em nota, Cármen Lúcia afirma que, se confirmada a investigação, está em curso “um gravíssimo crime contra o STF”. O Palácio do Planalto também divulgou nota em que nega que o presidente tenha acionado a Abin.
Segundo a revista, a investigação da Agência teria encontrado informações que poderiam ser usadas para desestabilizar Fachin.

Nenhum comentário