Londres: bombeiros lutam contra incêndio em prédio de 24 andares

Pelo menos 50 pessoas ficaram feridas no incêndio que atinge um prédio de 120 apartamentos em Londres

Ao menos 200 bombeiros ainda lutavam contras as chamas na manhã desta quarta-feira (14) do incêndio que destruiu um prédio de apartamentos de 24 andares no oeste de Londres. Segundo as últimas informações, há pelo menos 50 feridos. Ainda não se sabe quantas pessoas estão presas nos 120 apartamentos e o número de vítimas fatais. Várias pessoas estão desaparecidas.

Segundo a polícia, os moradores continuam sendo evacuados do prédio na Grenfell Tower, no subúrbio de North Kensington, em parte destinado a moradias sociais e habitado por pessoas de diferentes nacionalidades. Os moradores continuam sendo evacuados e os feridos foram enviados para cinco hospitais diferentes da capital. O prédio foi praticamente tomado pelas chamas, que atinge do 2° ao 27° andar.
Os bombeiros foram chamados por volta de 01h15 no horário local (21h15 Brasília) para apagar o incêndio no prédio, construído em 1974. Por volta das 5h, as chamas ainda devoravam o edifício e uma grossa coluna de fumaça podia ser vista no céu de Londres.
Cerca de 40 caminhões e 200 bombeiros foram enviados para combater o fogo. O comandante da London Fire Brigade, Dan Daly, disse que os bombeiros trabalham em condições extremas.
As cenas, dignas de um filme de terror, mostram moradores nas janelas, pedindo ajuda. Muitos criticaram a orientação dos bombeiros, que disseram para eles não tentarem deixar o edifício sozinhos e os aconselharam a se trancarem nos apartamentos. "Se tivéssemos seguido esses conselhos estaríamos mortos", declarou o morador Nicky Paramasivan à radio BBC.
A polícia também evacuou as residências próximas ao local, também ameaçadas pelas chamas. O risco de desabamento do prédio ainda não foi descartado, e uma equipe de engenheiros está no local para inspecionar a estrutura da torre.
Queixas e reforma
Os moradores se queixavam do estado precário do local e do risco potencial de incêndio. Um coletivo de vizinhos chegou a elaborar um documento e prestou queixou várias vezes. O prefeito de Londres, Sadiq Khan, disse que "várias questões deverão ser respondidas em relação à segurança no local”. O prédio havia passado por uma reforma de dois anos, que incluiu a troca do sistema interno de calefação.

Por Messias Bezerra / RFI Brasil




Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.