Relator ataca Marcelo Odebrecht: "Ele herdou uma cultura de propina"

Sessão plenária que julga chapa Dilma-Temer começou por volta de 9h30

O relator da ação que julga a chapa Dilma-Temer, o ministro Herman Benjamin, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), afirmou que não há como se investigar financiamento ilícito de campanha no Brasil sem investigar a Odebrecht.
"Mesmo que a Odebrecht não tivesse sido citada nominalmente, nós não teríamos como esquecer a matriarca da manada de elefantes", disse, logo no início da sessão desta sexta (09), que deve decidir o futuro do presidente Michel Temer.
Durante sua fala, ele ainda se referiu de forma dura ao empresário Marcelo Odebrecht, dono da empresa:
"Marcelo Odebrecht não herdou só uma empresa, ele herdou uma cultura de propina. Ele era administrador de uma grande grupo econômico e de um dos maiores  esquemas de corrupção do mundo e não só do Brasil", comentou.
Ele afirma ainda que a empresa não doou apenas para os partidos envolvidos, mas também para outros:
"A Odebrecht utilizou e abusou do método clandestino de apropriação da reputação dos candidatos brasileiros em quase todos os partidos", disse.
Por Messias Bezerra / Notícias ao Minuto

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.