Favela da Rocinha amanhece com intenso tiroteio neste domingo

Tiroteio assusta moradores na manhã deste domingo15/09/2017
A manhã deste domingo é de tensão na favela da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Segundo diversos relatos nas redes sociais, moradores contam que a comunidade acordou sob um forte tiroteio. Em vídeos publicados na web, é possível ouvir o barulho dos disparos.


No Twitter da Polícia Militar, há a mensagem para que as pessoas evitem ir até a região nesta manhã. Segundo o comando da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Rocinha, criminosos armados entraram em confronto com o efetivo da unidade num dos acessos à comunidade, por volta das 6h da manhã deste domingo. Ainda de acordo com a nota, não há informações sobre presos ou feridos no incidente. O Grupamento Aeromóvel (GAM)apóia o policiamento na comunidade.
O Centro de Operações da Prefeitura do Rio de Janeiro (Cor) também pediu através do Twitter que a Lagoa-Barra e o bairro de São Conrado sejam avançados. Segundo a postagem, uma operação policial na região pode causar bloqueios. As rotas alternativas sugeridas pelo Cor são a Avenida Niemeyer, que está com o tráfego em boas condições, e o Alto da Boa Vista, que também tem tráfego normal nos dois sentidos.
Uma moradora da parte baixa da comunidade, contou que acordou com o barulho dos disparos por volta das 6h20 e ainda escuta tiros na parte mais alta da Rocinha. Em um áudio enviado por ela via WhatsApp é possível escutar a intensidade do tiroteio.
— Acordei com tiros! Foi muito forte, um tiroteio muito intenso e continua até agora. Tem um helicóptero sobrevoando também, é assutador. A gente fica assustado né, mas a minha casa é bem protegida. Graças a Deus dentro de casa a gente fica protegido — contou.
A morada, que pediu para não ser identificada, disse que trabalha à noite na comunidade e não sabe ainda se vai poder trabalhar hoje.
— É complicado essa situação, vamos ver o que vai acontecer.

Ares de guerra

Desde a morte de três homens da quadrilha de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, no dia 13 de agosto, o bando que controla o tráfico de drogas do local está rachado. Moradores revelam que pessoas ligadas a Antônio Francisco Bonfim Lopes, o Nem da Rocinha, que controlou o tráfico na comunidade e está preso desde 2011, teriam sido expulsas da favela a mando de Rogério 157. Um dos alvos do bandido seria Danúbia de Souza Rangel, mulher de Nem. A Polícia Civil investiga se a mulher, que mora em Campo Grande, no Mato Grosso, onde o marido cumpre pena, está na Rocinha.
Ex-segurança de Nem, Rogério substituiu o chefe e controla o tráfico na favela. No último dia 13 de agosto, ele desconfiou que seria vítima de uma espécie de tentativa de golpe para tirá-lo da posição que ocupa. Rogério recebeu a informação de que um dos seus homens de confiança estaria mudando de facção para tomar o comando da favela. A reação foi imediata. Robson Silva, conhecido como 99, Wellington Nascimento, o Vasquinho, e Ítalo de Jesus Campos, o Perninha, foram executados. Perninha era o segundo na hierarquia do tráfico na favela. Os três corpos foram encontrados num Toyota Etios prata. A principal linha de investigação da polícia é a de que Rogério 157 seja o responsável pelas três mortes.

Invasão no Juramento e tensão no presídio

A facção de Nem e Rogério 157, a Amigos dos Amigos (ADA), ainda corre o risco de perder o controle de um de seus domínios na Zona Norte. Desde o fim da última semana, traficantes do Comando Vermelho (CV) tentaram invadir a favela, que permaneceu cerca de quatro horas sob tiroteio. Pelo menos sete pessoas morreram nos confrontos.

No Presídio Jonas Lopes de Carvalho, unidade do Complexo de Gericinó que abriga os detentos da ADA, o movimento de advogados dos chefes da facção impressionou agentes penitenciários. Na unidade, estão presos Celso Luís Rodrigues, o Celsinho da Vila Vintém, e Carlos José da Silva Fernandes, o Arafat.
Por Messias Bezerra Fonte: Extra

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.