Corinthians perde para o Bahia e vantagem pode cair para sete pontos

Diferença diminuiu para o segundo colocado, o Grêmio, e pode diminuir ainda mais nesta segunda, se o Santos vencer o Vitória em casa

Corinthians perde para o Bahia e vantagem pode cair para sete pontos
O Corinthians vai continuar contando com a boa vontade dos seus rivais diretos pelo título para manter a larga margem de pontos na liderança do Campeonato Brasileiro. Ao jogar mal mais uma vez, a equipe paulista foi derrotada pelo Bahia por 2 a 0, neste domingo (15), em Salvador.
A equipe continua com 58 pontos. Nesta segunda (16), o terceiro colocado Santos enfrenta o Vitória, no Pacaembu, e pode ir aos 51, assumindo a vice-liderança. A posição pertence ao Grêmio que, com o triunfo por 1 a 0 sobre o Coritiba, chegou aos 49.
A atuação corintiana foi a repetição do que a equipe mostrou no segundo turno. Sérias dificuldades ofensivas causadas pela falta de criatividade impedem a repetição da campanha do primeiro turno, quando teve aproveitamento de 82% dos pontos disputados.
Com toques laterais e paciência, o Bahia começou a partida controlando a posse de bola. Não foi o suficiente para criar oportunidades de gol, mas serviu para não ser ameaçado.
Tal como havia ocorrido na rodada anterior, contra o Palmeiras, no Pacaembu, a melhor opção era Edigar Junio, mas Zé Rafael buscava as tabelas com Rodrigão, ex-Santos, para tentar finalizar.
O Corinthians começou a insistir pela direita, mas quanto mais Romero descia ao ataque, mais espaço dava a Edigar Junior. Zé Rafael chegou a abrir o placar aos 18 minutos, mas o lance foi invalidado por impedimento.
Na primeira vez em que tentou inverter o lado e atuou pela esquerda, Guilherme Arana cruzou rasteiro. A bola atravessou toda a área, sem que ninguém tocasse para a rede.
Apesar disso, o Bahia não se sentia ameaçado. Sempre que Rodrigão saía da área, puxava a marcação e abria espaço para Zé Rafael. Ele quase marcou aos 23, em chute colocado no canto direito que Cássio espalmou. Nas vezes em que levantou a bola na área, os donos da casa não tiveram sucesso porque Balbuena ganhou todas as disputas.
Com o passar do tempo, o Corinthians começou a chegar pela direita e Romero achou espaços. Foi assim que criou a melhor oportunidade do primeiro tempo, quando o paraguaio cruzou na cabeça de Jô na pequena área. Sozinho, o atacante cabeceou e Jean fez uma grande defesa.
Para mudar a equipe, Fabio Carille trocou Jadson por Marquinhos Gabriel. O meia teve atuação apagada e quase não foi visto em campo. Saiu de campo caminhando lentamente, desanimado. Carille tentou deixar o ataque mais incisivo com a mudança.
O treinador corintiano fez tudo o que estava a seu alcance para fazer sua equipe jogar melhor. Também colocou em campo o talismã Clayson. Tirou um volante (Maycon) e o substituiu por um meia-atacante (Giovanni Augusto). Nada deu grande resultado.
A equipe criou uma boa chance nos 45 minutos finais, quando a bola sobrou limpa para Maycon dentro de área. Ele finalizou forte, mas no meio do gol. Jean fez a defesa.
Não que o Bahia estivesse bem na partida. Caiu de rendimento na etapa final, na verdade. Rodrigão jogava mal, mas saiu de campo revoltado ao ser substituído, como se fosse um van Basten do século XXI. Recusou-se a cumprimentar o técnico Paulo César Carpegiani ao dar lugar a Régis.
Para sair um gol na partida, teria de acontecer um erro escandaloso de algumas das equipes. Foi assim que o Bahia venceu. Fagner tentou girar com a bola dominada dentro da área e foi desarmado por Edigar Junio. Vinicius chutou pelo alto. Desorganizado, o Corinthians se mandou para o ataque e, nos acréscimos, com Cássio na área para tentar o empate, Marquinhos Gabriel errou um passe que armou a jogada em que Régis, com o gol aberto, anotou o segundo.
O resultado fez o Bahia, que há duas rodadas fazia as contas para evitar o rebaixamento, chegar ao 10º lugar, com 35 pontos.
Na próxima rodada, o Corinthians recebe o Grêmio no Itaquerão.
BAHIA
Jean; Eduardo, Tiago, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Edson e Renê Júnior, Zé Rafael (Allione), Vinícius (Matheus Sales) e Edigar Junio; Rodrigão (Régis). T.: Carpegiani
CORINTHIANS
Cássio; Fagner, Balbuena, Pedro Henrique e Guilherme Arana; Camacho, Maycon (Giovanni Augusto), Rodriguinho, Jadson (Marquinhos Gabriel) e Romero (Clayson); Jô. T.: Fábio Carille.Estádio: Arena Fonte Nova, Salvador
Juiz: Ricardo Marques Ribeiro (MG)
Cartões Amarelos: Jô e Camacho (COR)
Gol: Vinícius (BAH), aos 26 minutos, e Régis (BAH), aos 49 minutos do segundo tempo
(Folhapress)

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.