Noel Gallagher faz show de hits do Oasis em marcha lenta

Repertório do show de Noel Gallagher, escolhido para abrir as apresentações do U2 no Brasil, foi em boa parte formado pelas canções de sua ex-banda

Noel Gallagher faz show de hits do Oasis em marcha lenta
DAIGO OLIVA - Na música pop, a rentabilidade em torno da nostalgia é quase uma escravidão, tamanha a quantidade de shows para celebrar álbuns clássicos. Não é estranho então que o repertório do show de Noel Gallagher, escolhido para abrir as apresentações do U2 no Brasil, seja em boa parte formado pelas canções de sua ex-banda, o Oasis.
Não é uma novidade. Nas outras duas vezes em que o britânico veio ao país em carreira solo, o passado estava ali. Agora, no entanto, num show mais curto, de apenas 11 músicas, a revisitação fica mais evidente: cinco faixas são do grupo que formou com seu irmão mais novo, Liam Gallagher, até 2009.
A escolha das canções antigas, conhecidíssimas, também revela a preocupação em agradar um público que está no Morumbi por outra razão. O trio "Wonderwall", "Champagne Supernova" e "Don't Look Back in Anger", do álbum "What's the Story (Morning Glory)?", de 1995, mirava a simpatia dos fãs do U2, mas foram executadas em marcha lenta, quase em versões acústicas.
Poderia funcionar para shows em clubes de porte médio, mas não em um estádio como o Morumbi. As canções perderam peso com Noel no violão em vez de na guitarra. Em "Champagne Supernova", que o britânico anunciou dizendo "vocês conhecem essa música, vocês amam essa música", o baterista conduzia o som apenas com pratos e bumbo.
Ainda assim, os sucessos radiofônicos, principalmente "Wonderwall", ganharam a platéia. Durante o refrão do hit, todos cantavam, celulares ao alto, casais se beijando e mensagens de voz enviadas pelo WhatsApp. Além de outras duas faixas do Oasis, "Half the World Away" e "Little by Little", o guitarrista tocou sons de seus dois álbuns solo e uma nova faixa, "Holy Mountain".
Com a ajuda de uma banda afiada e naipe de metais em algumas músicas, Noel abriu a apresentação com "Everybody's on the Run", seguida de "Lock All the Doors". Para fechar, tocou "AKA... What a Life!", dedicada ao brasileiro Gabriel Jesus -Noel é torcedor fanático do Manchester City, clube no qual o atacante atua.
A primeira parte da noite de nostalgia termina então com um show aquém de uma apresentação em um estádio, mas, ainda assim, uma ponte competente para a segunda parte da sessão de memórias, que mostrará "Joshua Tree", do U2, na íntegra. Com informações da Folhapress.
NOEL GALLAGHER'S HIGH FLYING BIRDS
Classificação: bom

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.