Palmeiras empata em casa e perde chance de encostar no Corinthians

Juninho do Palmeiras faz gol contra na partida contra o Cruzeiro, válida pela 31ª rodada do Campeonato Brasileiro 2017 no Allianz Parque, em São Paulo nesta segunda-feira (30/10). Foto: Marcello Fim/Raw Image ORG XMIT: MARCELLO FIM / RAW IMAGE ***PARCEIRO FOLHAPRESS - FOTO COM CUSTO EXTRA E CRÉDITOS OBRIGATÓRIOS***
O Palmeiras, que entrou em campo nesta segunda (30) no Allianz Parque dependendo apenas dele para ser bicampeão brasileiro, empatou o jogo sobre o Cruzeiro, em 2 a 2, e agora precisa vencer o clássico com Corinthians, domingo (5), em Itaquera, para não ver o rival abrir uma grande vantagem na tabela novamente.

Se há 11 rodadas o time alviverde estava 17 pontos atrás do líder, agora, ele está cinco. Uma vitória no dérbi coloca o Palmeiras dois pontos atrás do Corinthians, que continua dependendo de si para ficar com o título. Faltam sete rodadas para acabar o Campeonato Brasileiro de 2017. 


O grande personagem do jogo foi o colombiano Borja. O atacante, que pela primeira vez no Campeonato Brasileiro jogou duas partidas seguidas, marcou duas vezes, e ainda fez um terceiro, anulado pelo árbitro Héber Roberto Lopes, que alegou falta do jogador do Palmeiras.

Depois da derrota do líder Corinthians, no domingo (29), em Campinas por 1 a 0 para a Ponte Preta, a pressão ficou toda do lado do Palmeiras, que entrou em campo sabendo que precisava vencer para encurtar de vez a diferença para o Corinthians.


Editoria de arte/Folhapress

GANGORRA DO BRASILEIROComo se comportou a diferença de pontos entre Corinthians e Palmeiras
GANGORRA DO BRASILEIRO - A diferença de pontos entre Corinthians e Palmeiras

Pressão que ficou ainda maior após dois erros individuais da defesa palmeirense logo aos seis minutos de jogo, que resultou no gol do Cruzeiro.

Primeiro, Mayke não cortou o cruzamento de Diogo Barbosa. A bola chegou ao meio da área e o zagueiro Juninho, sozinho, chutou contra o próprio gol.

Sob os gritos de "vamos ganhar, Porco", das quase 38 mil pessoas presentes ao Allianz Parque, o Palmeiras não se abalou e começou, com calma, a criar as jogadas de ataque, como queria o treinador Alberti Valentim. 


O primeiro empate saiu aos 35 minutos de jogo. Em uma jogada pela esquerda, Egídio cruzou, Dudu quase fez de calcanhar. No rebote do goleiro Fábio, Borja, em lance de oportunismo, empurrou para as redes.

Há quatro meses, o atacante colombiano não jogava duas partidas seguidas. Ele havia jogado uma pelo Brasileiro e outra pela Libertadores. Borja vem atuando, além do fato de Valentim gostar do futebol do jogador, porque o atacante Willian, um dos artilheiros do time, está no departamento médico.

O poder de definição do atacante Robinho, que estava em campo há menos de um minuto, foi determinante para o segundo gol do Cruzeiro. A bola sobrou livre para ele na intermediária do Palmeiras. Ele arrancou sozinho e com toque sutil na saída de Prass marcou. 


Com 2 a 1 contra aos 18 minutos do segundo tempo, o nervosismo passou a tomar conta do Allianz Parque, tanto dentro contra fora de campo. De forma caótica e sem um armador nato, o Palmeiras teve dificuldades de empatar o jogo, o que só ocorreu aos 40 minutos do segundo tempo.

Após lateral cobrada por Roger Guedes, a bola chegou na ponta direita para Dudu. Ele cruzou rasteiro, Borja dominou e com um chute forte, fez o seu segundo gol da noite. O sexto dele no campeonato.
Antes do segundo empate do Palmeiras, uma das únicas oportunidades na última parte do jogo ocorreu após cabeçada de Edu Dracena, aos 29 minutos do segundo tempo. Mas o goleiro Fabio deu um tapa na bola quase sobre a risca do gol. Ninguém conseguiu marcar no rebote. 

Por Messias Bezerra

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.