Banda The Vamps volta após hiato e quer tocar com Alok no Brasil

Banda The Vamps volta após hiato e quer tocar com Alok no Brasil

08/12/2020 0 Por Messias Bezerra

A quarentena foi produtiva para os integrantes da banda britânica The Vamps. O quarteto formado por Brad Simpson, 25, James McVey, 27, Connor Ball, 24, e Tristan Evans, 26, que estava longe dos estúdios desde 2017, aproveitou para finalizar o novo álbum, “Cherry Blossom”, lançado em outubro -no final de novembro fizeram uma versão estendida, com três faixas extra.

“É uma experiência estranha lançar um álbum neste momento [de pandemia]”, afirma o baterista Tristan Evans em entrevista ao F5, da Folha de S.Paulo. “Queríamos dar algo novo para os fãs. Não tínhamos lançado algo novo havia dois anos e sentimos ser a hora. Não é porque tem uma coisa ruim acontecendo que isso deveria nos afetar ao lançar música para os nossos fãs. Então lançamos.”

“Obviamente não podemos fazer turnê e não a faremos até que isso seja seguro”, lamenta. “Por outro lado, tem outras plataformas atualmente em que você pode experimentar os Vamps e outros artistas facilmente do seu quarto. Temos sorte de ser de uma geração que tem a vantagem de estar online e ter uma presença digital em que consegue encontrar informação muito rápido.”

O tempo que eles passaram parados, dizem, foi importante para definir o conceito que queriam para este álbum. “Temos sorte de termos feito alguns álbuns e turnês nos últimos sete anos”, avalia o guitarrista James McVey. “E quando você se acostuma a constantemente fazer álbum-turnê, fica difícil dar um passo para trás e pensar o que você quer fazer no álbum seguinte.”

“É por isso que, desta vez, nós deliberadamente nos afastamos por um tempo dessa bagunça toda”, explica. “Isso significa que conseguimos fazer um álbum um pouco diferente dos anteriores. Essa é a principal razão pela qual temos um conceito forte neste projeto. Isso só aconteceu porque tivemos esse tempo para pensar no que realmente queríamos. Precisa de tempo para priorizar o que está sentindo.”

O vocalista Brad Simpson diz acreditar que o álbum é ideal para o momento por falar de otimismo em um momento tão estressante para todos. “Ele tem uma mensagem de renascimento e de focar continuamente em ser alguém melhor.”

“A mensagem é de positividade, basicamente”, continua.

“Seja estando presente ou mergulhando fundo no que motiva você e descobrindo a melhor forma de colocar as coisas em ordem para a sua saúde mental. A principal mensagem do álbum é a positividade. Então, esperamos que ele possa alegrar as pessoas neste momento tão bizarro.”
Durante o hiato sem um novo álbum, o quarteto lançou a música “All The Lies”, em parceria com o DJ brasileiro Alok.

“A colaboração com ele foi muito divertida e a música ficou muito diferente depois que ele colocou o toque dele”, elogia Simpson. “Nunca tocamos essa música ao vivo juntos, então é uma das primeiras coisas que queremos fazer quando sairmos dessa [pandemia].”

“Nós genuinamente amamos colaborações e nos expormos a músicas que não necessariamente ouvimos no nosso dia a dia”, conta. “Por isso sempre estamos indo a países novos para tocar e depois sair à noite para conhecer músicas diferentes e culturas diferentes, o que é muito legal.”

A banda, que já esteve no Brasil, dividiu as memórias que tem do país. “Sinto que algumas das minhas melhores lembranças são aí”, confessa Tristan. “Em primeiro lugar é o churrasco para mim. Vamos falar sobre isso um segundo. É incrível.”

“Tem a cultura e também o clima, que é uma coisa muito importante para nós, porque em Londres chove o tempo todo”, reclama. “E tem os fãs, a energia que eles levam para os shows. As apresentações são sempre incríveis, é muito divertido aí, tem sempre uma energia muito grande.”

“A paixão! Tem uma paixão aí quando nós vamos que nós amamos”, concorda Brad. “É sempre um dos melhores shows do ano –e não estou dizendo só por dizer. É genuinamente um dos melhores lugares para fazer shows.”

O vocalista diz que tem “100% de chance” de eles voltarem ao país quando a pandemia deixar. “Com certeza estaremos de volta assim que for seguro para fazer shows e tocar as músicas do novo álbum”, comenta. “Mal posso esperar.”